A presença artística na vida de Márcio Santos

Mini Bio:  Jaice Balduino – Jornalista, assessora de imprensa e estrategista de marcas

Artista, professor, pai e super esposo. É impossível falar de Márcio Sérgio dos Santos sem citar sua maestria nas criações que estão super presentes na vida e espaços em que ele ocupa. 

Márcio começou a trabalhar aos 14 anos na Escola Profissional da Rede Ferroviária no bairro Horto, em BH. Na época, havia provas seletivas bem concorridas e era possível se desenvolver profissionalmente. Lá, ele concluiu um curso profissionalizante de três anos e recebia um salário que correspondia a um terço do salário mínimo atual. A Rede Ferroviária fez parte de sua trajetória profissional até sua aposentadoria, trazendo vários desenvolvimentos que o fez desenvolver seus pontos artísticos.

Márcio é técnico mecânico e leva consigo vários cursos profissionalizantes: serralheria, autocad, solda, teclado, violão, cavaquinho.

Sua arte é predominantemente visual e está sempre aberto para novas criações, o que traz novos olhares para suas diferentes formas de atuação. Rico em detalhes, ele usa suas obras como fonte de inspiração para criação de peças marcantes e únicas.

“A arte é a forma como expresso minhas emoções e a minha percepção cultural. Eu uso minha criação artística para ser representada através de várias formas, como a música, a esculturas e peças em solda, pintura, entre outras.”, conta Márcio.

E por falar em formas artísticas, Márcio conta que a música foi despertando, ao longo de sua vida, até que ele se enxergasse como artista. Segundo ele, a arte é um trabalho de conexão com a alma, ela estabelece uma troca de energia, de expressões, de sentimentos e sensações. 

Ele é professor de violão e é através da educação musical que ensina crianças e adolescentes a terem também olhares aguçados para a arte e suas formas de expressão.

Segundo o artista, ao trazer o envolvimento das pessoas com a arte, elas desenvolvem melhor as suas competências sociais, artísticas e culturais. E também aperfeiçoam sua sensibilidade e criatividade, que sempre evoluem com o tempo.

Cida Badu, esposa de Márcio, fala o quanto é possível extrair coisas boas de seu esposo, “Ele é um profissional cheio de talentos, é bom pai, bom esposo e andando pela nossa casa qualquer pessoa percebe que aqui respiramos arte.”, conta Cida Badu.

A arte de Márcio, em geral, é um trabalho de conexão com os sentimentos, com o mundo e com aqueles que estão à sua volta. Segundo ele, a arte estabelece uma troca de energia, de expressões, de sentimentos e sensações. “É com essa troca que conseguimos compreender o valor do outro e o que realmente consideramos importante em nossas vidas.” afirma.

Foto Arquivo Pessoal

Compartilhar

Procurando algo? Faça uma pesquisa e encontre mais notícias entrevista ou edições.

VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR