Autonomia, diálogo e diversidade

Baixe aqui a 12ª edição da Revista Canjerê

Como costumo dizer, só é possível permitir que o novo se manifeste a partir do momento em que estamos abertos às mudanças.

A Canjerê agora é semestral e não mais quadrimestral como sempre foi desde o lançamento em 2015. Queremos dar mais tempo para a nossa equipe apurar as suas pautas.

O nosso modelo de gestão continua o mesmo, as matérias publicadas surgem a partir de sugestões de cada colaborador. Por sermos uma equipe diversa, as edições apresentam um olhar ampliado da sociedade. Os textos exclusivos e das edições impressas estão no portal www.revistacanjere.com.br.

A reunião de pauta da 12ª edição da Canjerê foi realizada em um dos barzinhos do edifício Maletta, ponto de encontro tradicional em Belo Horizonte(MG), um lugar que é bem a cara da revista por sua pluralidade cultural, de gênero e racial.

Cada colaborador/a já tinha a sua pauta em mente, sendo assim, a reunião não foi demorada e sobrou tempo para um bom bate-papo e um delicioso tira-gosto. É assim que gostamos de trabalhar: de forma leve, afetiva, sem estresse.

Encarregado da missão de escrever a capa da edição, o jornalista Well Mendes conta a história do artista plástico Jorge dos Anjos, conhecido por suas esculturas em aço. O artista falou sobre as suas referências e inspirações.

Do encontro da jornalista Naiara Rodrigues com a deputada estadual Andréia de Jesus para a produção da seção Entrevista, o orgulho de ter uma mulher negra como representante na política só aumentou.

O jornalista Roger Deff escreveu sobre os movimentos que colocaram BH no polo da cultura Black do país. O Quarteirão do Soul e Movimento Soul BH são iniciativas tradicionais que movimentam a resistência da cultura negra no país.

Esses são apenas exemplos de muito mais que a 12ª edição oferece!

Boa leitura!

Sandrinha Flávia – Editora