Ele tinha medo de falar em público, mas superou e hoje ajuda milhares de pessoas a conquistar uma comunicação de alto impacto

 Por Sandrinha Flávia, jornalista, apresentadora e empresária

Desde que encontrou a sua missão de vida, o angolano Kimuanga Bumba (48) ajuda as pessoas a conquistarem uma comunicação de alto impacto de forma integral e sistêmica. O mestre ou mentor, como é chamado por seus alunos, é formado em Administração de Empresas, MBA em RH e logística, criador do Método Muanga, Master Coaching Integral Sistêmico e palestrante. 

Nem sempre o mestre teve uma boa desenvoltura na comunicação. Sua história perpassa por vários obstáculos. Na época escolar, as picadas de mosquitos prejudicavam a aparência da sua pele e por conta disso os pais dos outros alunos não deixavam as crianças se aproximarem. A gagueira e a chacota, por conta do seu nome, contribuíram para as faltas escolares e reprovações, mesmo sendo um bom aluno.

“Kimwanga Mbumba”, essa deveria ter sido a escrita correta do seu nome, porém, devido à colonização portuguesa, o registro ficou como “Kimuanga Bumba”, como explica o mentor: “Na Língua portuguesa não existia a letra “w” no alfabeto, então eles definiram que tinha que ser escrito com letra “U”. Também não tem palavras que começam com consoantes, ou seja, o “M” de Mbumba, eles removeram. Assim foi a ditadura do tempo colonial”.

Seu nome é oriundo da Aldeia Bumba em Malanje. O prefixo “Ki” significa algo de grande valor que não pode ser desperdiçado.  O sufixo “Mwanga” quer dizer aquele que espalha luz. Já o sobrenome “Mbumba” significa poder, riqueza, trabalho, prosperidade e terra. A sua missão de vida já estava construída com a força do significado do seu nome próprio.

Jogar bola era a sua brincadeira preferida, apesar das dificuldades em conseguir uma bola. Naquela época, Angola vivia um cenário de guerra, os brinquedos distribuídos para as crianças pobres eram armas.  Com dezenove anos, seu irmão o viu jogar e o incentivou a entrar num time profissional. Kimuanga visitou vários clubes, mas não foi aceito em nenhum. Essa rejeição, aliada a outros problemas pessoais fizeram o mestre pensar em tirar a própria vida.

Mas, o mundo deu voltas e Kimuanga aprendeu a arte de cortar cabelos. Conseguiu um trabalho como barbeiro e com o dinheiro que ganhava investiu em materiais para treinar basquete. Caminhava quase duas horas para treinar sozinho. Quando voltava para a casa, nem sempre tinha o jantar, o jeito era comer os figos de uma árvore do seu quintal ou papa de soja, um tipo de comida servida para refugiados.

Quando tudo parecia perdido, foi convidado para jogar num campeonato universitário com a promessa de talvez conseguir uma vaga para estudar. Mas, na final, descobriram que ele não era estudante e foi retirado do time. A bebida alcóolica foi o caminho para afogar a decepção. 

Mas, a frustração durou pouco. O presidente da Associação Nacional de Basquete Universitário o convidou para jogar no campeonato nacional da Angola, o maior da África. Kimuanga foi selecionado para o time de melhores atletas mesmo não sendo estudante. Em 1998, foi selecionado para representar o time de Angola no Campeonato Pan-africano na África do Sul, mas chegar naquele país não foi fácil, pois não tinha documentos muito menos roupas e sapados apropriados. Com a ajuda de boas pessoas, conseguiu viajar.

Mais tarde, tornou-se treinador e, quando largou o basquete, fez estágio em uma rádio, depois trabalhou em uma empresa no setor de contas a pagar e gestão de estoques e se interessou pela faculdade de administração de empresas. Foi no curso que surgiu a oportunidade de apresentar um trabalho. Kimuanga ficou tão nervoso que foi vaiado pelos colegas.

A primeira fala bem sucedida em público foi num casamento, quando seu pai o convidou a fazer a leitura da carta de pedido. O mestre se saiu muito bem e, então, passou a ser o orador dos eventos da família e a investir em cursos, além de se modelar no estilo Barack Obama. 

Kimuanga já deu palestras e treinamentos para milhares de pessoas, inclusive no Brasil. Hoje, sua missão de vida é formar pessoas para a vida por meio dos cursos de oratória, apresentação de alto impacto e superação, ajudando seus alunos e alunas a descobrirem as suas forças e fraquezas, sonhos e talentos de forma integral e sistêmica com foco nas áreas espiritual, familiar, saúde, emocional, profissional, conjugal, etc.

Siga o Instagram @kimuangaa – Foto Domingos Cassinda