Loja Colaborativa no Pelourinho reúne marcas afroempreendedoras

Por Sandrinha Flávia, jornalista, locutora, editora e mestra de cerimônias

Empreender, dar visibilidadeaos profissionais negros e valorizar as marcas que criam seus produtos inspiradas na cultura negra são algumas das premissas da Loja Negros Solidários. Localizada em um dos roteiros turísticos mais procurados do Brasil, o Pelourinho, centro histórico da cidade de Salvador(BA), o espaço que funciona como uma loja colaborativa conta com trinta marcas afroempreendedoras.

O projeto surgiu em julho de 2018 quando foi realizada a Feira Negros Solidários.  Após o evento, o Coletivo de Entidades Negras(CEN), entidade idealizadora do projeto, criou a loja em sua própria sede para que a feira não ficasse marcada apenas no tempo e depois sumisse. A loja Negros Solidários é a continuação da feira, só que agora em um ponto fixo.

No início eram 16 marcas, esse número foi crescendo e hoje já são trinta empreendimentos que dividem o espaço oferecendo moda masculina, feminina, cosméticos, acessórios religiosos, brochuras, papelaria, bolsas etc. Em média, setecentas pessoas visitam a loja em busca de produtos com identidade negra.

Yuri Silva, coordenador Geral do CEN, explica que a missão da loja é inverter o debate sobre o racismo. “Queremos discutir o acesso do povo negro ao dinheiro, em vez de focarmos nas nossas mazelas. Precisamos incentivar que  povos negros acessem riquezas, sejam empresários, dominem mercados que historicamente são brancos, eurocêntricos e racistas”, diz.

Para conseguir um espaço na loja, o empreendedor/a precisa ser negro e produzir algo da cultura negra. O espaço funciona em sistema de plantões de turnos. Cada empreendedor/a fica dois turnos por mês no atendimento aos clientes. Eles também realizam o pagamento de uma taxa fixa por mês, como explica Yuri,“Atualmente o empreendedor paga uma taxa de manutenção de R$ 25 para o custeio de despesas. No começo, quando tínhamos um edital para realização da feira, a permanência era gratuita. Mas essa cobrança também acaba por trazer mais responsabilidades para os empreendedores, que ficam mais comprometidos”.

A empreendedora e criadora da marca Asha Bio, Ashanti Elesbão, comercializa, na loja, cosméticos naturais e artesanais. Segundo ela, o fato de a proposta do espaço ser pensada e formatada para pequenos empreendimentos negros fez com que Ashanti aderisse ao projeto, “As vantagens são muitas como  local fixo para comercialização, bem localizado, pois estamos no Pelourinho, custo baixo e rentável, oportunidade de aprendizado pela convivência entre nós, fortalecimento da nossa autoestima enquanto empreendedores e pessoas e o apoio de um Coletivo com anos de experiência”.

A Loja Negros Solidários funciona de segunda a sábado, das 9h às 18h. E na alta estação, abre também aos domingos. O endereço é Rua das laranjeiras, 25, Pelourinho, Salvador (BA). O instagram é @lojanegrossolidarios.

No espaço você encontrará as seguintes marcas: Alagbedé, Aondê Artes, Asha Bio, Bença Vó, Bixa Costura, Black Atitude, Black Pim, Candaces, Cantinho da África, Chica Ferreira, Concrochê, Fáfa – Fotografia e Resgate Ancestral, Goró Poético, Jack Diva Black, Me Deixe, Mia Fia Bolsas, Moça Preta, Ofánish, Omi O, Ouromim, Preta Brasil, Tecnorgânics, Tons da Terra, Vista Realeza, Bayo Moda Afro, Raízes de Fé, Inlé Orixá Artes em Jóias, Lulis Acessórios e Pele Preta.

Loja Negros Solidários no Pelourinho, Salvador, Bahia. Foto: Thiago Conceição