Notícias

Marcelo Amaro lança seu novo álbum intitulado SAMBÁFRICA

Gaúcho radicado no Rio de Janeiro, o artista se tornou presença importante na cena do samba contemporâneo carioca. O álbum apresenta onze composições sendo dez delas inéditas, com destaque para a faixa-título “Sambáfrica”, uma parceria de Marcelo Amaro com Mamau de Castro e Daniel Delavusca, que conta com a participação do babalawô nigeriano Ìdòwú Akínrúlí na fala inicial em iorubá: “Samba Ìṣe wa ni. Àṣà wa n.i Ẹ̀yin ọmọ áfríkà. Ẹ jẹ a jọ gbé árugẹ “.

Marcelo Amaro apresenta diversas tramas rítmicas e sonoridades de linhagem africana, exaltando sua própria herança cultural. O samba vem sempre em primeiro plano, numa feliz e rara conjunção entre tradição e contemporaneidade.

Prêmio Internacional de Arquitetura Belo Horizonte 

A Casa no Pomar do Cafezal, localizada no Aglomerado da Serra, em Belo Horizonte, foi a vencedora do prêmio de “Casa do Ano 2023” no Concurso Internacional do ArchDaily, um dos principais portais de arquitetura do mundo. A casa é do artista belo-horizontino Kdu dos Anjos, gerente do Centro Cultural Lá da favelinha, e concorreu na categoria com residências no México, índia, Vietnã e Alemanha.  A escolha foi realizada por meio de votação online. O imóvel de 66 metros quadrados foi construído propositalmente, com tijolos expostos, sem reboco e pintura, e tem o chão finalizado na técnica cimento queimado. O projeto é assinado pela dupla de arquitetos Fernando Maculan e Joana Magalhães.

Sibilas do Tijuco: Vozes que Ecoam

O Museu Casa dos Contos recebeu neste ano a exposição SIBILAS DO TIJUCO – Vozes que ecoam, de Marcial Ávila. A exposição do artista diamantinense apresenta a arte como uma experiência de pura inspiração. As obras apresentadas são marcadas pela sensibilidade do artista, e também representam o trabalho de pesquisa da professora Maria Cláudia Almeida Orlando Magnani, o qual alicerçou as criações de Marcial. As peças apresentam dimensões artísticas, culturais e religiosas retratando personagens que ultrapassam a experiência mitológica e, de forma inusitada, chegam até nós como mensageiras de virtudes inspiradoras para além do seu aspecto religioso. Além das pinturas e das 12 Sibilas e painel da Sibila Ciméria (Cumana), de Marcial Ávila, também compôs a exposição a obra Véu Quaresmal Sibilino, de Caetano Luiz de Miranda (Século XVIII). A sequência das Sibilas do artista resulta da contemplação da abóbada da capela-mor da Igreja de Nosso Senhor do Bonfim e dos véus quaresmais sibilinos somada a tantas outras experiências e impressões acumuladas ao longo de sua trajetória. 

 A exposição SIBILAS DO TIJUCO – Vozes que ecoam de Marcial Ávila apresenta a arte como uma experiência de pura inspiração

Dança-Afrobrasileira – Identidade e Ressignificação Negra

O dançarino e coreógrafo Evandro Passos lançou o livro “Dança Afro-Brasileira – Identidade e Ressignificação Negra”. Resultado de sua dissertação de mestrado concluída em 2011, na Universidade Estadual Paulista (Unesp), o livro apresenta um relato da trajetória de jovens de vilas e favelas de Belo Horizonte que, por meio das danças de matrizes africanas, puderam “ressignificar suas vidas”. O livro resgata parte da história da dança afro no Brasil por meio de entrevistas e depoimentos e dá destaque para o pioneirismo da coreógrafa Marlene Silva, uma das principais referências da dança afro-mineira e responsável pela formação do dançarino no início de sua carreira.

Livro resgata parte da história da dança afro no Brasil