Etnografia Suburbana


O rapper Roger Deff lançou seu primeiro disco solo, “Etnografia Suburbana”. Viabilizado a partir de uma campanha de arrecadação coletiva no Catarse, o álbum tem oito faixas lançadas na plataforma digital e também em disco físico – recompensas para os colaboradores do projeto.

O disco tem produção de Edgar Filho e Ricardo Cunha que também tocam bateria e guitarra, respectivamente, e conta com participações do MC Douglas Din, de Richard Neves (Pato Fu), Luciano Cuíca Play e Ricardo HD, irmão de Roger.

Etnografia Suburbana traz um estudo das etnias do ponto de vista de um sujeito suburbano circulando pela cidade realizado pelo artista. Sua sonoridade também é a dos ritmos suburbanos acrescentado ao rap, ao funk, ao maracatu e ao samba, entre outros gêneros.

Fibra Cabelos reinaugura novo espaço em Divinópolis/MG

Foto: Patrícia Santos

Quando a empresária Karla Carolina resolveu vender cabelo sintético na Internet em 2016, não imaginava a proporção que o negócio tomaria. Após um ano na rede, e com a demanda aumentando, a empresária resolveu ampliar o negócio também para um espaço físico. Em pouco tempo, a loja ficou pequena e foi necessário um espaço maior.

A nova loja da Fibra Cabelos foi reinaugurada no mês de abril deste ano na rua São Paulo, 272, no centro de Divinópolis. A loja trabalha com vários tipos de cabelos sintéticos e orgânicos, além de acessórios e cosméticos. Acesse Facebook.com/fibracabelos

Lançamento do livro: Ativismo Juvenil e Políticas Públicas

O jornalista, mestre em Psicologia e analista de projetos Bruno Vieira lançou recentemente o livro Ativismo Juvenil e Políticas Públicas: o caso do Centro de Referência da Juventude de Belo Horizonte (MG). O trabalho é oriundo da sua dissertação de mestrado, apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Psicologia da UFMG, sob orientação da Profa. Claudia Mayorga. 

O livro traz reflexões para compreender a relação entre ativismo juvenil e políticas públicas de juventude, observando como o Centro contribui na relação entre movimentos juvenis e a delimitação de políticas públicas de juventude em BH. Acesse:editoraletramento.com.br 

Encontro Nacional Rainha Nzinga

Ilustração: Marcial Ávila

Nos dias 25 e 26 de julho, Salvador (BA) sediará o 1º Encontro Nacional Rainha Nzinga. O encontro é uma iniciativa do grupo Neafro Tambores de Minas e de vários movimentos negros. Dar visibilidade às organizações de mulheres negras, manter viva a memória dessas que sempre defenderam a cultura de matriz africana e seu ideal de liberdade são alguns dos objetivos do encontro.

As atrações incluem mesas de debate, visita à Casa Angola, exposição de moda e entrega do Troféu Rainha Nzinga. O encontro será realizado na Casa de Angola, situada na praça dos Veteranos, centro, Salvador(BA). Informações: Uiára Lopes: (71)9 9678 5895, Adelina: (32)9 8858 5441.

Mexeu com uma mexeu com todas

Foto: Leone Serafim

Mulheres do Brasil, Espanha e Portugal se uniram para combater a violência contra a mulher. Elas participaram da gravação do videoclipe da música “Mexeu com uma mexeu com todas” da cantora brasileira Kris Rocha que desenvolve seu trabalho na Espanha.

A música é inspirada na campanha lançada no carnaval de 2019 intitulada “Meu corpo não é sua fantasia” idealizada pela vereadora Ireuda Silva, presidente da Comissão do Direito e Defesa da Mulher de Salvador. O clipe contou com a participação da Associação das Mulheres Notáveis de Salvador, mulheres de Portugal e Espanha e já está disponível nas páginas da cantora Kris Rocha na Internet.

Sambadear

Foto: Luiza Bongir

A cantora e compositora Manu Dias, figura marcante do samba mineiro, lançou seu primeiro disco, o “Sambadear”. O álbum é composto por músicas autorais, algumas em parceria com Toninho Batista e Thiago Delegado, e as demais de compositores mineiros como Serginho BH, Alexis Martins, Lado Raízes, Ricardo Barrão, Fabio Martins.

Dona de uma voz marcante e nascida em Ouro Preto, a cantora já possui mais 15 anos de carreira. Ela participa de diversos projetos que destacam o ritmo como o “Samba da Vera” ao lado de Flávio Renegado que circula com o projeto “Circuito Gastronômico de Favelas”, “Casa de Bamba”, e “Bala da Palavra”, idealizado por Sergio Pererê.E

Ladrão

Foto: Divulgação


Consagrado entre os maiores nomes do hip-hop nacional, Djonga lançou em março o seu terceiro álbum “Ladrão”. Sucesso das críticas e do público, o disco composto por dez faixas inéditas chegou a ultrapassar os 14,5 milhões de plays no Youtube e no Spotify apenas oito dias depois de ter sido divulgado.

O álbum foi produzido pelo respeitado Coyote Beatz, co-produzido por Thiago Braga (Pato Fu) e masterizado por Arthur Luna. Nas letras, o rapper traz referências a diferentes artistas brasileiros e denuncia o racismo estrutural da sociedade.

Aquilombô

Alysson Salvador foi uma das atrações do Aquilombô – foto de Kelson Frost_

Discutir a arte negra em todas as suas expressões, promover reflexões sobre suas estéticas e narrativas, reunindo artistas das mais variadas linguagens, esse foi o objetivo da 3ª edição da Mostra Aquilombô – Fórum Permanente de Artes Negras, que aconteceu entre os dias 8 a 19 de maio no Teatro Francisco Nunes em BH.

A programação diversificada contou com performances, espetáculos de teatro, de circo, de dança, shows, lançamento de livros, intervenções poéticas e exposição. Um dos destaques da programação foi o lançamento da série editorial do projeto, coordenada por Marcos Fábio de Faria, que tem como principal objetivo fomentar a literatura preta nas mais diferentes linguagens.

A primeira autora publicada pela série é Cristiane Sobral (DF), com o livro “Uma Boneca No Lixo”. As escritoras Rosane Borges e Cidinha da Silva, que também participaram da programação, serão publicadas pela Série Aquilombô ainda em 2019.

Rainha Diambi

Foto: Ricardo Laf

A Rainha Diambi Kabatusuila Mukalengna Mukaji de Nkashama (da Ordem do Leopardo), da República Democrática do Congo, esteve no Brasil, no início deste ano, passando por Belo Horizonte, Salvador, Rio de Janeiro e São Paulo. Na capital mineira, a rainha participou do evento “África-Brasil: Mulheres Negras e um fazer ancestral” no Centro de Referência da Cultura Popular e Tradicional Lagoa do Nado no dia 8 de março.

A realeza destacou no local que sua viagem ao Brasil promoveu uma reconexão com os povos da África. “É uma honra estar aqui e dar reconhecimento às personalidades do Brasil. Fiquei feliz também em ver que elas me reconhecem como uma sobrinha, uma irmã e uma mãe. Estamos todos juntos numa luta muito grande pela igualdade, paz, amor e por um mundo melhor”, ressaltou.